Lilás


(Espécie:  Syringa vulgaris - Família:     Oleaceae     =

O lilás e as suas origens

O lilás é originário da antiga Pérsia (Irão) e chegou à Europa no século XVI. O termo Syringa provém da palavra grega syrinx, que significa "tubo oco", numa referência às hastes do lilás que, em certas espécies, eram esvaziadas e usadas para fazer a flauta de pã ou a flauta de bisel.


Sazonalidade: O lilás em flor

Uma árvore de lilás madura na primavera e no início do verão é uma visão magnífica e as suas efémeras flores (as árvores só estão em flor durante duas ou três semanas) são compensadas pela sua beleza e maravilhosa fragrância.

 

As inflorescências paniculadas ostentam pequenas flores tubulares, em grupos bem apertados e em tonalidades que vão do branco ao púrpura, passando pelos rosa suave e pelos tradicionais tons de alfazema.

 

 Todos os lilases são decíduos. Existem inúmeros híbridos e cultivares disponíveis, incluindo os lilases de flor dupla. A escolha pode ir, portanto, desde uma árvore que pode atingir 4,5 m quando madura, até um arbusto compacto de crescimento lento, como um Syringa meyeri Palabin, que não ultrapassa 1,5 m de altura e é ideal para um pequeno jardim ou canteiro.

Como plantar: Lilás

Os lilases são plantas resistentes que florescem todos os anos se não forem podados. Apesar de os lilases se desenvolverem em vários tipos de solos, preferem solos ligeiramente alcalinos, férteis e com uma boa drenagem. Desenvolvem-se melhor em locais soalheiros e se forem adubados e cobertos com mulch todos os anos. Os lilases são excelentes flores de corte.

 

Não é necessária mais do que uma poda ligeira e as plantas produzem mais inflorescências se lhes for permitido um desenvolvimento natural, apesar de os ramos fracos e secos poderem ser cortados logo após a floração.

 

O míldio pulverulento pode tornar-se um problema se não houver uma boa circulação do ar, por isso, convém efetuar uma poda destinada a tornar o arbusto ou a árvore menos densos. Vá cortando as flores murchas, sobretudo nos primeiros anos de crescimento. As espécies parasitas costumam surgir rapidamente e devem ser removidas do lilás.

Propagação do lilás:

Multiplique os seus lilases através da estaquia de ramos macios no início do verão.


Sabia que... Curiosidades sobre o lilás

Nos Estados Unidos da América celebram-se anualmente festivais em honra do lilás. Spokane, em Washington, é conhecida como a cidade dos lilases e organiza, todos os anos, uma parada e um festival. Uma vila em Illinois, chamada Lombard, tem um jardim com mais de 200 variedades de lilases - o Lilacia Park. O lilás é a flor oficial do estado de New Hampshire.

 

Em Inglaterra, o lilás é considerado símbolo de infelicidade, acreditando-se que o azar baterá à porta das casas onde existam um vaso com lilases cortados. Além disso, um antigo provérbio inglês diz que uma pessoa que leve um lilás na mão, nunca levará uma aliança.

 

Título: Guia das flores Camélia

Espécie: Camellia

Família: Theaceae

Camélia: a rainha dos arbustos floridos

 

A camélia e as suas origens

A camélia é um arbusto de folhagem perene, cultivado pelas suas flores vistosas e pela sua folhagem brilhante e de um verde profundo.

 

Na natureza, a camélia cresce no leste e no sul do continente asiático. Muito antes de terem chegado à Europa, no início do século XVIII, as belas inflorescências das camélias já eram muito apreciadas nos jardins chineses e japoneses.

 

Sazonalidade: A camélia em flor

 A grande vantagem da camélia é produzir flores logo no início do ano, desde o final do inverno ao início da primavera, quando muito poucas plantas florescem. As suas flores são espetaculares e vistosas.  Uma camélia pode produzir tantas flores que as folhas quase desaparecem.

 

As inflorescências podem chegar aos 12 cm de dimensão, podendo ostentar a forma simples de uma anémona, tal como a C. williamsii JC. Williams, de tonalidade rosa pálida, ou a magnificência de uma peónia, como a "Anticipation", na sua cor rosa profundo. As flores podem ser raiadas com uma cor mais escura, tal como acontece com a C. japonica Lavinia Maggi, no seu marmoreado cor de framboesa, ou com a C. japonica Margaret Davis, cujas pétalas terminam num rebordo cor de cereja.

 

As cores são normalmente matizados de branco, rosa e vermelho-vivo, embora também existam camélias creme e amarelas. As variedades de jardim podem chegar aos 3 metros de altura ou mais, mas normalmente a camélia não ultrapassa os 2 metros.   

 

Como plantar: Camélia

A camélia não é uma planta particularmente difícil de cultivar, sendo, por isso, perfeita para um jardineiro inexperiente. As exigências de poda são mínimas e a planta floresce no início da primavera. Contudo, precisa de facto de ser plantada em solo não calcário, ou seja, com pH neutro a ácido, não alcalino, e num local abrigado. O plantio junto à parede da casa é o local ideal.

 

A geada e o degelo rápido podem danificar os botões da flor, por isso, evite plantar a camélia num local exposto aos ventos gélidos e ao sol da manhã. Por serem plantas de bosque, as camélias preferem locais com sombra parcial. As camélias também se desenvolvem muito bem em canteiros.

 

 Nem todos os tipos são resistentes, por isso selecione cuidadosamente o cultivar de camélia. 

 

Propagação da camélia

A partir da segunda metade do verão até ao início do inverno, poderá propagar a camélia através da estaquia de um talo semiamadurecido; a partir da segunda metade do verão até ao inverno, poderá fazer o mesmo com os brotos das folhas.

 

Sabia que... Curiosidades sobre as camélias

A camélia mais popular não é uma variedade de jardim, com as suas características flores de cortar a respiração. É antes uma espécie mais modesta: uma planta usada para fazer chá, a Camellia sinensis.

 

A simples e perfeita camélia branca é o símbolo da Chanel.