Gloxínia


(Espécie: Sinningia (= Gloxinia) speciosa - Família: Gesneriaceae)

 

A gloxínia e as suas origens

Originária da América do Sul e Central, a gloxínia está normalmente associada ao Brasil, ainda que também tenha ligações com Myanmar. Enquanto planta comum de interior, foi introduzida na Europa em 1817, onde foi profusamente cultivada.

 

A Sinningia speciosa foi introduzida para cultivo como Gloxinia speciosa, mas ainda hoje continua a ser conhecida sob a designação genérica “Gloxínia”.

 

 De textura aveludada, esta espécie tuberosa de gloxínia, tem flores vivas e vibrantes e é por vezes considerada uma flor muito vívida, graças à tonalidade brilhante das suas pétalas. 

 

Esta variedade de gloxínia é sensível às flutuações de temperatura e humidade e, consequentemente, é mais cultivada como planta de interior. Outras espécies do mesmo género podem ser mais resistentes e, em climas mais quentes, tolerar o cultivo no exterior.

Sazonalidade: A gloxínia em flor

Com floração nos meses de verão e, muitas vezes, no outono, a gloxínia produz flores ricas, exuberantes e aveludadas. As flores são em forma de campânula e a maior parte das espécies é semipendular.

 

A planta encontra-se disponível numa série de cores vivas e brilhantes que vão desde o vermelho ao púrpura, passando pelo rosa e pelo azul. As pétalas podem também ter bordaduras contrastantes, com um fio branco sobre um fundo púrpura ou violeta profundo.

 

 Algumas espécies produzem inflorescências isoladas ou duplas.  A gloxínia pode crescer até aos 15 cm e produz grande número de flores em cada floração.

 

Como plantar: Gloxínia

A Sinningia speciosa é muito delicada e, por isso, de cultivo difícil. Extremamente sensível à luz solar e ao ar seco, esta gloxínia apesar de precisar de muita luz, tem de ser protegida das queimaduras provocadas por uma exposição direta à luz do sol. De igual modo, embora gosta de ambientes húmidos, pulverizar a planta com um nebulizador manchará e desfigurará as flores e as folhas.

 

Os tubérculos da gloxínia, tal como os da Sinningia speciosa são plantados em inícios de fevereiro, após o período de dormência que se prolonga até finais do inverno Algumas espécies desenvolvem rizomas. Estes são plantados no ano que se segue à floração completa.

 

A gloxínia gosta de temperaturas cálidas e constantes durante o crescimento. Também se dão bem em ambientes húmidos. Uma vez que a nebulização pode danificá-la, use um humidificador se necessário.

 

O solo deve ser de boa qualidade e apresentar uma boa drenagem. A planta gosta de uma rega regular mas o tubérculo poderá apodrecer se houver acumulação de água no solo. Cuidado ao regar; as folhas e as flores não devem ser salpicadas. Regue apenas a base e elimine a água em excesso. Entre as regas, deixe o solo secar; ao tocar nele, deverá senti-lo seco. Nessa altura, regue profusamente. Este tipo de rega ajudará a gloxínia a desenvolver-se.

Propagação da gloxínia

A propagação dá-se pela divisão do tubérculo e ocorre no final do inverno. O principal tubérculo da gloxínia deve ser imediatamente de novo plantado, deixando-o apenas com uma leve camada de terra por cima.  Os brotos podem então ser envasados e expostos a uma lâmpada específica para plantas.

Sabia que... Curiosidades sobre a gloxínia

Na língua das flores, gloxínia é símbolo de admiração e reverência.