Fushia


(Espécie:  Fuchsia - Família: Onagraceae)

 

A fúcsia e as suas origens

As fúcsias são uma grande família maioritariamente composta por arbustos decíduos ou perenes, cultivados pelas suas características flores pendentes que surgem no início do verão e morrem no início do outono.

 

Nas regiões de clima ameno, as fúcsias desenvolvem-se perfeitamente no exterior, mas em climas mais frios, convém resguardá-las em canteiros ou cultivá-las em estufas. São originárias da Nova Zelândia, da América Central e do Sol e do Taiti.

 

A Fuchsia triphylla foi descoberta na Ilha de São Domingos (uma ilha que engloba o Haiti e a República Dominicana) em 1703 pelo botânico francês Charles Plumier, que nomeou a espécie em homenagem ao médico alemão Leonhart Fuchs, também considerado um dos pais da botânica, e trouxe a fúcsia para Inglaterra.

                                                                

Sazonalidade: A fúcsia em flor

A flor da fúcsia é basicamente constituída por quatro sépalas reviradas para trás, com pétalas e estames pendulares. Deste padrão surgem, contudo, muitas variações, desde flores delicadas em tonalidade rosa gelo, fazendo lembrar pequenos sinos de um templo, a flores exuberantes em tons de escarlate e púrpura, com saias tão cheias como os tutus de ballet.

 

Esta planta pode ser utilizada em bordaduras ou em canteiros, ou seja, pode ser um arbusto lenhoso ou uma sebe (tal como a F. magellanica, com 1,20 m de altura), ou pode ser exibida apenas no verão, em recipientes (tal como a variedade branca e lilás "Bon Accorde"), canteiros ou, no caso das variedades de talos mais finos, em cestos suspensos, como a variedade vermelha e branca "Swingtime".

 

A fúcsia também pode ser cultivada em vasos para fins ornamentais.

 

Como plantar: Fúcsia

Todas as fúcsias se desenvolvem bem em solos férteis e húmidos, em locais com sombra parcial e abrigados. Devem ser regadas durante os períodos de seca e ocasionalmente adubadas com um produto com elevado teor de potássio. Mantenha o aspeto arbustivo e florido das plantas resistentes, cortando os talos logo acima no nível do solo no início da primavera.

 

Para manter as fúcsias de canteiro durante o inverno, guarde os vasos numa estufa ou numa divisão fria com uma boa iluminação e mantenha a rega a um nível mínimo até à primavera.

 

Belisque as extremidades das fúcsias cultivadas a partir do corte de talos, para que a planta não se desenvolva desordenadamente.

 

Propagação da Fúcsia

Corte em estaca alguns talos verdes no verão (as extremidades e botões de flor). Mantenha-se atento à mosca-branca, que pode causar sérios problemas.

 

Relativamente à Fuchsia magellanica, poderá cortar em estaca alguns talos verdes na primavera ou alguns talos semiamadurecidos no verão e colocá-los num propagador de plantas.

 

Sabia que... Curiosidades sobre a fúcsia

A fúcsia também é conhecida como "brincos-de-princesa". A cor de nome "fúcsia" deriva da cor vibrante que esta planta ostenta, entre o rosa e o vermelho.

 

 

Título: Guia das flores Skimmia

Skimmia: uma planta perene útil e tão resistente como umas botas velhas

Espécie: Skimmia

Família: Rutaceae

 

A skimmia e as suas origens

A skimmia é um arbusto pequeno e ordenado, cultivado pelas bagas vermelhas que produz no outono, pelas inflorescências primaveris e pela sua bonita folhagem sempre verde. Esta planta é originária das regiões asiáticas de clima quente a temperado.   

 

Sazonalidade: A skimmia em flor e em fruto

A skimmia atinge apenas 60 a 90 cm de altura, sendo por isso uma boa planta de canteiro e para a frente de uma bordadura. A sua principal atração são as bagas que surgem no outono e que só caem no final do inverno. Contudo, esta planta perene também produz flores, o que faz com que a skimmia esteja sempre bonita durante o ano inteiro.

 

A maioria dos cultivares pertence à espécie Skimmia japonica e é resistente a geadas. A produção dos frutos requer a presença de plantas macho e fêmea, mas se apenas tiver espaço para uma delas, opte por uma S. reevesiana "Robert Fortune", que é autofecundável.  A Skimmia japonica Rubella exibe, no inverno, generosas inflorescências de flores cónicas cor-de-rosa, e a Nymans, uma planta fêmea, produz bagas vermelhas em abundância.

 

Como plantar: Skimmia

A skimmia gosta de solos ligeiramente ácidos e férteis, por isso junte matéria orgânica se necessário. Esta planta não tolera solos encharcados, por isso assegure-se de que o local de plantio tem uma boa drenagem. A poluição, a névoa salina e a sombra total não afetam o crescimento da skimmia, mas a planta prefere locais com sombra parcial. A exposição constante à luz solar direta torna as folhas amarelas.

 

Esta planta raramente precisa de poda para ter bom aspeto, mas a primavera é a altura certa para remover eventuais talos danificados.

 

Propagação da skimmia

Enterre as estacas semiamadurecidas com um objeto comprido num propagador no início do outono.

 

Sabia que... Curiosidades sobre a skimmia

Todas as partes desta planta libertam uma fragrância forte quando esmagadas na nossa mão. A Skimmia Fragrans é a que tem as flores mais perfumadas.