Dália


(Espécie: Dahlia spp.- Família: Compositae)

 

A dália e as suas origens

A dália foi cultivada pela primeira vez na Europa em finais do século XVIII, depois de viajar da sua terra nativa no México até Madrid. Esta planta deve o seu nome ao cientista sueco Anders Dahl. Na língua das flores, pode ter vários significados, entre os quais ser o símbolo do Omen, ou uma declaração de amor entre dois amantes.

 

A dália é a flor nacional do México e foi pela primeira vez observada no século XVII. Passaram-se contudo mais 200 anos até que fosse cultivada na Europa. Cultivada inicialmente pelas qualidades nutricionais dos seus tubérculos bulbosos, não tardou muito para que esta planta fosse também reconhecida pelas suas flores ricas e vibrantes.

 

A Dahlia merck e algumas das espécies mais pequenas podem ser cultivadas em jardins rochosos. As outras espécies de cultivo derivam geralmente do cruzamento entre a Dahlia coccinea e a Dahlia variabilis, ambas de origem mexicana.

 

Sazonalidade: A dália em flor

Com floração de julho a novembro, existem várias espécies de dálias disponíveis, as quais variam em cores, formas e tamanhos.

 

Estas plantas dividem-se em duas categorias:

  • Variedades anãs, com um crescimento de 20 a 50 cm e flores isoladas ou duplas.
  • Variedades altas, que podem atingir uns impressionantes 1,7 m, com flores grandes, vistosas e vibrantes.

 

As variedades mais altas das dálias dividem-se ainda numa série de outras classes:

  • Grandes flores decorativas com pétalas que podem atingir 30 cm de diâmetro
  • Semi cactus e flores com pétalas reconhecíveis pelo seu aspeto longo, estreito, pontiagudo e frequentemente curvo, que fazem lembrar um moinho de vento
  • A dália Pompom, com a sua pequena flor esférica e simétrica
  • A dália-de-colar tem duas filas de flores, uma externa e outra interna, sendo esta mais fina e mais pequena
  • Flor isolada semelhante a uma margarida

 

Normalmente, as dálias apresentam cores vibrantes e fortes, que vão do branco e do amarelo, ao rosa e vermelho-amaranto.

 

Como plantar: Dália

As dálias são relativamente fáceis de cultivar e, consequentemente, são presença assídua nos jardins, sobretudo no norte da Europa e nos Estados Unidos.

 

Estas plantas prosperam em climas quentes; não toleram o frio extremo. Para obter melhores resultados, plante-as num local com muita luminosidade e num solo rico em húmus ou bem adubado. O solo deverá estar bem solto, para permitir uma boa drenagem, e ser preparado um mês antes de os tubérculos serem plantados, misturando nele adubo orgânico se necessário. Se o solo não estiver suficientemente solto, adicione-lhe uma boa quantidade de areia.

 

Idealmente, as dálias devem ser plantadas entre finais de março ou maio nas regiões mais frias. O espaçamento dos tubérculos depende da espécie que pretende plantar, podendo variar entre 30 a 70 cm. Nos climas mais frios, se plantar os tubérculos um pouco mais fundo, aproximadamente entre 10 a 15 cm, poderá protegê-los de eventuais geadas tardias. 

 

Em termos gerais, a dália não requer muitos cuidados, bastando remover os talos fracos quando chegam aos 10 cm de altura e deixando 3 talos quando chegam aos 20 cm. O caule das variedades de flores grandes precisa de ser apoiado.

 

Propagação da dália

As dálias podem propagar-se facilmente a partir da estaquia das pontas dos ramos ou da divisão das raízes tuberosas. Ao dividir os tubérculos, certifique-se de que têm um broto viável. Os tubérculos devem ser cultivados num local abrigado, idealmente entre quatro paredes no início da primavera. Se forem plantados num composto húmido e com uma boa drenagem, começarão a produzir rebentos em duas semanas e estarão prontos para divisão quando tiverem 2 a 3 cm.

 

Sabia que... Curiosidades sobre dálias

Existem duas espécies muito raras de dálias que podem atingir uma altura impressionante: a Dahlia excelsa e a Dahlia imperialis, que podem atingir 7 e 5 metros de altura, respetivamente.

 

Estas plantas adaptam-se bem a climas temperados a quentes e os tubérculos não devem ser retirados do solo.

 

A Dahlia excelsa tem pétalas semipendulares com cores entre o rosado e o roxo e atinge 15 cm de diâmetro. Em contrapartida, a Dahlia imperialis tem flores tingidas de roxo, que também são semipendulares e que atingem 12 cm de diâmetro.