Cravo


(Espécie: Dianthus - Família: Caryophyllaceae)

O dianthus e as suas origens

O cravo, a cravina plumarius e a cravina barbatus são parentes próximos da família Dianthus. Estas flores eram amadas pelos antigos gregos. De facto, a palavra "dianthus" deriva das palavras gregas "dios" (Deus) e "anthos" (flor).

 

Estas pequenas flores serrilhadas, com o perfume distinto e doce do cravo-da-índia, têm suscitado grande interesse ao longo dos tempos, estando hoje sobretudo presentes nos jardins rústicos e rochosos. O habitat natural do dianthus são os solos calcários da Europa e da Ásia.

Sazonalidade: O dianthus em flor

Todos os dianthus ostentam uma folhagem verde-acinzentada ou quase prateada, mas as flores e a dimensão da planta variam em função dos vários grupos. Os cravos ostentam flores grandes assentes sobre talos fortes, produzindo cada talo várias flores a meio do verão. Estas podem ter pétalas pontilhadas, ou seja, ostentar pétalas com rebordo de cor contrastante, como os cravos "Eva Humphries", com as suas linhas escarlate.

 

As mais pequenas cravinas plumarius são flores que chamam a atenção. Podem pertencer às variedades mais antigas, formando almofadas de folhagem facilmente propagáveis, e florir apenas uma vez, a meio do verão, ou pertencer às variedades mais modernas, que têm um crescimento mais vigoroso e florescem várias vezes durante o verão, tais como as "Houndspool Ruby" que ostentam um cor-de-rosa intenso.

Como plantar: Dianthus

O dianthus prefere solos calcários, ou seja, mais alcalinos do que ácidos. O solo tem de ter uma boa drenagem, por isso, se necessário, acrescente-lhe uma boa quantidade de brita quando efetuar o plantio. Escolha um local exposto e soalheiro no jardim.

 

Alguns cravos mais altos precisarão de ser suportados por estacas. A maioria das variedades é resistente e não precisa de proteção no inverno. As cravinas plumarius formam lindas bordaduras e os pequenos tufos de flores são ideais para jardins rochosos. Todos eles são excelentes flores de corte.

Propagação do dianthus

A bienal cravina barbatus (Dianthus Barbatus) pode ser cultivada a partir da semente no final da primavera, para florir no verão seguinte. Os cravos e as cravinas plumarius podem ser propagados através da estaquia dos seus talos macios durante a primeira metade do verão. 

Sabia que... Curiosidades sobre o dianthus

Na época de Isabel I de Inglaterra, o dianthus foi apelidado de "gillyflower" e muitas variedades foram cultivadas, utilizadas na confeção de ramos ornamentais e representadas nos quadros da época.

 

Os arqueólogos acreditam que o lindo Dianthus arboreus foi o modelo dos murais decorativos do palácio de Cnossos.

Em inglês, as tesouras de lâmina serrilhada têm o nome "pinking shears" devido ao efeito serrilhado das pétalas da cravina plumarius (flores que em inglês obtêm o nome "pink"). O nome "pink" provém do simples facto de estas flores serem cor-de-rosa.