Nada aquece mais do que chamas crepitantes. Seja numa lareira, numa fogueira a céu aberto ou numa salamandra, as chamas ateadas com lenha avivam e criam boas recordações. Contudo, antes de atear fogo ao primeiro tronco deste ano, perca algum tempo a rever algumas regras de segurança relacionadas com a lenha.

Lenha infestada

Mesmo que insetos se abriguem na madeira para passar o inverno, nunca aplique pesticida na lenha. A maioria dos pesticidas apenas leva a que estes insetos procurem refúgio ainda mais fundo. Além disso, se queimar lenha tratada com pesticidas, arriscar-se-á a libertar esses químicos no interior da sua casa.

Evite as lianas felpudas

As lianas da hera venenosa, que frequentemente se enrolam à volta das árvores, podem ter uma consistência lenhosa que parece ideal para queimar. Se detetar uma liana lenhosa e felpuda na lenha que comprou ou cortou, separe o tronco afetado da restante lenha. Não tente remover a liana e queimar o tronco sem ela. Se lhe escapar alguma das raízes lenhosas que contêm a seiva venenosa, poderá desenvolver uma erupção cutânea, e os seus pulmões serão igualmente afetados, se chegar a inalar esse fumo.

Armazene a lenha de forma adequada

Se estiver a pensar armazenar lenha seca na sua garagem ou abrigo de jardim, certifique-se de que não existem fontes de ignição por perto. Estas incluem ferramentas como trituradoras, lanternas ou máquinas de soldar.

Compre apenas lenha local

Muitas pragas e doenças que atacam as árvores viajam através da lareira, incluindo o besouro verde, o escaravelho de chifres longos asiático e milhares de doenças que apodrecem a madeira. Use sempre lenha local, para evitar importar uma nova praga para a sua zona. A maioria dos especialistas recomenda que a lenha seja obtida num raio de 80 km.

Lenha proveniente de árvores derrubadas por trovoadas e ventos fortes

Não faz mal secar e queimar este tipo de lenha, desde que a mesma não se apresente podre, doente ou tratada com pesticidas.

Lenha dura vs lenha macia

A madeira divide-se em duas categorias: madeira macia (coníferas) e madeira dura (caducifólias). Regra geral, a madeira dura é mais compacta e dura do que a madeira macia, mas existem exceções. Estes dois tipos de madeira queimam de forma diferente.

As madeiras duras apresentam ainda diferenças ao nível da produção de calor, medida em unidades térmicas britânicas (BTU). Uma unidade térmica britânica elevada significa que obterá mais calor por volume de lenha.

Madeira dura

Madeira macia

Arde durante mais tempo, com uma chama consistente

Arde muito rapidamente, produzindo uma chama alta e muito quente

Produz mais brasa, a qual liberta calor durante bastante tempo

Ao arder mais rapidamente, terá de colocar lenha com mais frequência; as brasas duram pouco tempo

Mais difícil de fazer lume

Ignição fácil, boa para iniciar uma fogueira

Ideal para salamandras e lareiras fechadas

Ideal para fogueiras ao ar livre

Madeira seca

Para arder melhor, a lenha não deve ter mais de 20% de humidade. A lenha bem seca arde de forma mais segura e eficaz do que a lenha verde. Procure obter os tipos de lenha abaixo indicados que, quando convenientemente secos, produzem as melhores chamas.

Madeira dura

Madeira macia

eucalipto

cedro

árvores de fruto

abeto

nogueira-americana

pinheiro-do-canadá

acácia

pinheiro

medronheiro

sequoia

ácer

 

carvalho (todos os tipos)

 

nogueira

 

Algumas madeiras macias, como os cedros-vermelhos e alguns pinheiros, contêm bolsas de humidade com gás comprimido que explodem sob a ação do calor. As explosões produzem fagulhas que são perigosas em lareiras abertas e sem os devidos painéis de proteção.

A madeira das seguintes árvores é também uma boa opção para retirar lenha, desde que esteja bem seca, mas existem alguns aspetos a considerar:

Faia: produz uma chama muito quente e brasas duradouras, mas pode derreter metal numa fogueira.

Acácia-bastarda: arde durante muito tempo e produz calor intenso com uma chama média, mas tem espinhos; cuidado ao manuseá-la

Ulmeiro: há quem diga que o fumo desta árvore tem um odor desagradável, é difícil de cortar e as chamas requerem atenção constante

Amoreira: tem uma ignição difícil e produz muitas fagulhas, mas tem tanta energia como o carvalho.

Árvores a evitar

Existem ainda as seguintes madeiras, que tendem a ser difíceis de cortar, mesmo com uma serra hidráulica: o ulmeiro-americano, o plátano, a árvore-do-âmbar, a nogueira-pecan, a pistácia, a amendoeira, a árvore de pomelo e o eucalipto-vermelho.

A nogueira-americana, alguns carvalhos e a oliveira são difíceis de cortar manualmente, mas existem ajudas mecânicas para ajudar na tarefa.