O composto forma-se naturalmente - é um processo natural. Se empilhar folhas e ramos num canto do seu jardim, acabará por assistir à sua transformação numa matéria escura, esponjosa e esfarelada: o composto. Ainda que possa simplesmente deixar agir a natureza, poderá também optar por acelerar o processo, se possuir os conhecimentos necessários.

Entre os responsáveis pela decomposição da matéria orgânica, incluem-se microrganismos, fungos e a fauna presente no solo (minhocas, milípedes, etc.). A produção de composto tornar-se-á mais eficiente se conceber um ambiente com as condições ideais para estes organismos.

Normalmente, a matéria leva alguns meses a vários anos a decompor-se. Mas se criar as condições ideais para os decompositores, poderá acelerar o processo e obter um composto em cerca de 14 dias.

Comece com os ingredientes certos

Para produzir composto, os decompositores precisam de quatro elementos: carbono, azoto, água e oxigénio. Use estes elementos de forma equilibrada para obter rapidamente um composto maturado a partir das matérias-primas.

Carbono. As matérias ricas em carbono (designadas "resíduos castanhos") são os alimentos que fornecem energia aos decompositores. As matérias com elevadas quantidades de carbono são normalmente castanhas ou escuras, duras e secas. Entre tais matérias incluem-se, por exemplo, as espigas e as canas de milho, as folhas secas, a palha e os jornais triturados.

Azoto. As matérias ricas em azoto (designadas "resíduos verdes") fornecem proteínas aos decompositores. Muitas matérias ricas em azoto são verdes e húmidas, tais como as plantas anuais, a relva cortada e os ramos podados.  Os resíduos alimentares entram nesta categoria, incluindo os elementos que não são verdes, como as borras de café e as cascas de ovo. Até mesmo o estrume e as farinhas (farinha de sangue, farinha de algas), que não são verdes nem húmidas, são excelentes fontes de azoto.

Água. Tal como todos os outros seres vivos, os decompositores precisam de humidade para sobreviver. De quanta água precisam? Regra geral, a pilha de compostagem deve parecer uma esponja húmida, mas que não pingue. Se a pilha secar demasiado, regue-a.  Se tapar a pilha com uma lona ou usar um compostor fechado, conseguirá regular melhor o nível de humidade.

Oxigénio. O seu exército de organismos decompositores também precisa de oxigénio para funcionar melhor. À medida que a matéria da pilha se decompõe, as bolsas de ar vão desaparecendo. É fundamental tomar medidas para introduzir oxigénio na pilha. Revolvê-la é uma boa solução, tal como a utilização de compostores específicos com orifícios de arejamento.  Se quiser realizar um sistema de compostagem caseiro, forme a pilha acima do solo, sobre uma palete ou uma camada de ramos, por exemplo. Em alternativa, insira um ou dois tubos de plástico perfurados de 10 cm no centro da pilha. De 15 em 15 dias, rode vigorosamente os tubos para aumentar o fluxo de ar no composto.

Quando tiver os elementos reunidos nas proporções corretas, a decomposição ocorre rapidamente. O processo de decomposição produz calor, o que é fundamental para destruir as plantas infestantes, os patogéneos das plantas e os organismos que veiculam doenças. Ao revirar a pilha assegura-se a conservação do calor adequado para produzir composto saudável.

Siga uma receita, ou não

Idealmente, a proporção de resíduos castanhos (ricos em carbono) e de resíduos verdes (ricos em azoto) numa pilha de compostagem é 25:1. As pilhas de compostagem com demasiados resíduos castanhos e poucos resíduos verdes levam anos a decompor-se. Demasiados resíduos verdes e poucos resíduos castanhos produzem uma pilha húmida e de odor desagradável.

Não é, contudo, necessário obter uma proporção rigorosa de 25:1 para que haja decomposição da matéria. Lembre-se de que este é um processo natural. Experimente o seguinte:

  • Forme a pilha de compostagem por camadas, dispondo três a quatro vezes tanta matéria castanha como verde. Para uma decomposição mais rápida ("compostagem quente"), as camadas verde e castanha devem ser dispostas numa proporção de 1:1.
  • Forme camadas com 7 a 10 cm de altura.
  • Espalhe meia pá de composto maturado ou de terra superficial (ambos contêm organismos decompositores) entre as camadas.
  • Regue as camadas alternadamente.